Como escolher um imóvel corporativo para startups?

A principal função de um imóvel corporativo é reunir pessoas. Seja colaboradores, clientes ou investidores. Em 2020, mesmo com a crise econômica, poucas unidades foram devolvidas em Curitiba e as grandes empresas adotaram um modelo híbrido mesclando home office e trabalho presencial.


Entretanto, o ecossistema de inovação da capital está crescendo e Curitiba foi apontada como um dos Top 100 ecossistemas emergentes do mundo (Fonte: Global Startup Genome Report 2020).


Segundo o Mapeamento Startups Paranaenses 2020/2021 - Sebrae PR Curitiba tem hoje 422 startups em atividade tendo como foco cinco principais segmentos: IT & Comm (59 unidades), Health Tech & Wellness e ConstruTech (31 unidades) e Fintech e InsurTech (28 unidades). De maneira geral, estas empresas estão sendo financiadas por Investidores Anjo ou participam de Programas de Aceleração e estão em estágio avançado de maturidade.


Quando estas empresas estão crescendo chega um determinado momento em que é preciso encontrar uma sede própria capaz de acompanhar a evolução do negócio com agilidade e mobilidade.


“Um importante papel do consultor imobiliário é conduzir as empresas em estágio de operação ou scale-up para imóveis que permitam expansões rapidamente. A dica é que os espaços mais prontos permitem investimentos iniciais com custos mais baixos” comenta Roberto Pimenta, Diretor de Novos Negócios e Inovação da Top Soluções Imobiliárias.


Assim, as principais características mais buscadas pelas startups são um endereço que tenha uma grande oferta de transporte público, prédios com redes de fibra ótica e facilidades no entorno para atender uma rotina de alimentação e serviços em geral.


A Top Soluções Imobiliárias possui experiência em projetos de expansão de startups como Olist, MadeiraMadeira, Celero e Ebanx. A proximidade com os clientes pensando em conjunto o desenvolvimento de suas operações é que garante o sucesso na escolha de seus escritórios corporativos.